terça-feira, 14 de janeiro de 2014







“Mas ás vezes eu me lembro dele. Sem precisar gritar de raiva, sem sentir saudades ou aperto no peito, sem sentir desprezo ou revolta e o pior, sem sentir nenhum sentimento especial, a não ser a certeza de que finalmente, o tempo tudo cura. Então me pego imaginando que no fundo, talvez ainda houvesse algumas coisas a serem ditas, algumas coisas como: "fazem falta os seus torpedos durante a madrugada, dizendo que não consegue dormir por sentir minha falta" ou "já resolveu aquele problema que tanto te incomodava?" ou até mesmo um bobo "como você está?", porque no fundo eu sei e você também sabe, que eu ainda me importo e que nós nos importamos. O amor pode ter se suicidado ou tirado férias prolongadas, mas o carinho e a saudade o substituem, principalmente nos dias frios, então se cuida, já que não posso te cuidar.”